ProspeCAD no Face

Datashortcut


Boa tarde!
O post de hoje será sobre um assunto bastante comentado no Civil 3D, o Datashortcut.
Basicamente a função do Datashortcut é impedir que o arquivo principal (que é aquele que recebe todas as informaçôes de projeto) seja sobrecarregado. Além disso, ele possibilita o usuário à dividir o seu projeto em 3 fases diferentes, sobretudo na parte de loteamento e rodovias, em que é possível:
1a etapa: Importar o seu levantamento para a template e criar a surface de topografia (seja por GPS, Estação Total, curvas de nível vetorizadas por carta topográfica, planialtimetria, etc.). Após isso, cria-se o Datashortcut desta surface em uma pasta X. (como mostro no vídeo abaixo)


2a etapa: No arquivo onde você irá realizar o trabalho bruto do projeto (criação dos alinhamentos horizontais, verticais, corredores, surface de terraplenagem, de comparação e curvas de projeto (TN + Terraplenagem)), você importa a surface de topografia (Create Reference - como tambem mostro no vídeo), faz toda a base de trabalho paralelo à um desenho da área de trabalho que possa ser colocado como XREF caso este esteja georeferenciado, ou seja, caso as coordenadas deste desenho esteja compatível com o projeto.Depois disso criar os datashortcuts das superfícies, alinhamentos horizontais e verticais (para perfis e seções) em uma pasta Y que dará origem aos arquivos que serão utilizados nas pranchas de acabamento.
3a etapa: Você importa todos os data da 2a etapa para este arquivo que será o primeiro do acabamento, geralmente na ordem da exigência da GRAPROHAB para loteamento é o arquivo de "Implantação de vias e curvas de terraplenagem", e assim fará todos os arquivos até chegar na última pracha de entrega.
Na parte de Rodovia o Datashortcut é mesclado com as sample lines e as seções transversais ou notas de serviços, assim como as folhas de documentação em sheet sets, comando que permite criar dados externos, bem como os relatórios de cálculos e offsets que podem ser criados diretamente pela Toolbox para que sobrecarregue ainda menos o desenho.
Esta é uma pequena mais valiosa dica sobre datashortcut e referências externas que você pode aplicar no seu dia a dia para que a perfomance ou rendimento do seu software juntamente com sua máquina melhore mais.
Abraço à todos!

1° Curso de Rodovia - Civil 3D (Prospecad)

Boa tarde!
Este post estava devendo há quase um mês para um novo amigo que fiz. Ele veio lá de Angola (trabalha na Queiroz Galvão) "aproveitar" as suas férias e antes de curti-las em João Pessoa deu uma passadinha aqui em Campinas para fazer o primeiro curso presencial que a PROSPECAD Engenharia/Geoprocessamento realizou. Nome dele: Geraldo Marinho, ou se preferir, Sargento Marinho. Pensa em um cara gente fina, multiplica por 10x, este é o cara. Muito aplicado e prático, ele também tem muito conhecimento em obras rodoviárias, e foi bom aprender um pouco com ele também.


Fico contente por ter ficado satisfeito com o curso e sempre que possível estarei à disposição em ajudá-lo nas dúvidas. Lembre-se de assistir as vídeo-aulas que foram oferecidas como material didático. Agora é sua hora de contar as histórias vividas por aqui ! kkkkkkkkk
Boa sorte nos projetos e um abraço!!!

Georreferenciamento de imagens e vetores - AutoCAD

Boa tarde!
Hoje postarei uma dica como georreferenciar um desenho ou imagem que você recebeu de alguém e quer passar para as coordenadas originais do projeto.
Neste tópico irei abordar um exemplo para georreferenciamento com base na malha de coordenadas, mas você também pode fazer quando se está trabalhando com imagem e vetor (ou com dois vetores referentes ao mesmo local de trabalho) e quer usar pontos coincidentes entre as duas camadas.
Veja o exemplo abaixo.


Veja que eu posicionei o cursor no cruzamento entre duas linhas da malha e a mesma não se encontra georreferenciada. Para tornar adequada, teremos que criar 3 pontos e nas propriedades destes pontos colocar as coordenadas reais que estão escritas na própria malha. Dica: use o comando DDPTYPE para aumentar o tamanho do seu ponto para você conseguir enxergar quando for alinhar.
Portanto crie os 3 pontos (comando POINT) em 3 cruzamentos diferentes e insira os valores corretos nas propriedades (comando MO), veja.


Após preencher o primeiro valor em X (ou Leste) seu ponto irá sumir momentaneamente por alterar esta coordenada. Mesmo assim continue com a tabela de propriedades na tela e insira agora o valor para Y (Norte).


Assim você acabou de cadastrar o primeiro ponto. Faça isso para os 2 próximos criando sempre na interseção entre as duas linhas de coordenadas. Dica: deixe os 3 pontos em cores diferentes e sempre pegue um ponto distante do outro e nas extremidades. Deixe tambem o ponto no local de partida com a mesma cor do ponto de destino. Importante: se você estiver trabalhando com um urbanístico velho (que está na coordenada correta) e um novo (que esteja na errada) você aplicará o mesmo comando que eu ensinarei aqui, pegando pontos coincidentes entre o desenho velho e o novo. Para isso importe o bloco do velho no desenho novo e faça o comando.
Portanto, veja os 3 pontos na tela.


Utilize o comando Align do CAD e faça a ligação (partida - destino) dos pontos para que os desenhos ou o desenho e os pontos se encaixem. Veja os passos.
1. Acione AL:

2. Selecione todo o desenho urbanístico;
3. Clique no ponto de partida (pegue o ponto nó ou node do ponto):


4. Clique no ponto de destino da mesma forma.


5. Faça isso para os outros dois pontos.
6. Confirme se as coordenadas nos pontos estão batendo com as informações da malha.


Em alguns casos quando as coordenadas não estão tão distorcidas, dois pontos já são suficientes para alinhar o urbanístico ou qualquer outro tipo de desenho nas coordenadas adequadas.
Fico por aqui! Espero que este post tenha sido útil!
Grande abraço à todos!



Compatibilidade de versões - CAD x Civil 3D

Boa tarde!
Hoje postarei sobre um dica utilizando os recursos do AutoCAD mesclado-os com os do Civil 3D. Muitas vezes você precisa enviar as curvas de projeto da terraplenagem para alguma pessoa que usa a versão anterior do software, isso é frequente.


Vamos supor que você encerrou o projeto de terraplenagem e que agora precisa enviar sua surface para o projeto de drenagem pluvial, água e esgoto.
Após ter feito o paste surface da terraplenagem com o terreno natural, você deve repassar esta surface para o seu cliente. Porém, ele possui uma versão anterior comparada à que você está trabalhando. Exportar o Landxml da surface não vai dar certo pelo problema de compatibilidade.
Uma solução rápida que você pode usar é extrair a malha triangular e exportar o seu dwg para 2010.
Portanto, extraia esta malha pelos passos abaixo através dos comandos do Civil.
1. Selecione a surface;
2. Acesse "Extract Objects":


3. Indique que você quer extrair a triangulação (dica: para isto você deve deixar o estilo de triangulação ligado):


Após ter todas as entidades em CAD, você pode exportar ou mesmo criar um bloco da malha triangular que você extraiu e transformá-la selecionando todas as 3d faces, e consequentemente criar um WBLOCK (Bloco externo) pelos comandos do CAD convencional.
1. Block:


Mantenha também todas as coordenadas em zero e o sistema métrico. Isso significa que seu bloco será importado nas coordenadas originais e em metros.

2. WBlock:


Lembre-se de manter as configurações e deixar apontado para versão anterior o bloco que será salvo.
Após ter feito estes procedimento na versão 2013, abra a versão 2012 e insira este bloco pelo comando Insert (Digite I). Selecione o diretório onde se encontra o arquivo em Browse e mantenha as coordenadas.

3. Insert

Por último, após ter inserido o bloco explodá-o pelo comando Explode e use a malha triangular como definição para a sua surface.
1. Volte para os comandos do Civil, crie a surface na aba Prospector do painel Toolspace, e em Drawing Objects utilizando a função "3D Faces".


2. Confirme a opção que tem a função de manter as entidades fielmente originais, assim o Civil 3D não alterará a malha triangular resultante da terraplenagem + terreno natural vinda do arquivo original.


Pronto, agora você já pode fornecer ao seu cliente uma surface sem erros do projeto para ser usado como base de estudo para água, esgoto e drenagem pluvial.
Atentem-se ao site da PROSPECAD que estará no ar amanhã com novidades de cursos, trabalhos realizados pela empresa, objetivos e valores dentro do mercado.
Grande abraço à todos.

Constituindo uma assembly para vicinal

Boa noite!
Estou postando meia-hora de vídeo-aula do volume 01 de Rodovia que falo sobre o criação de assemblies para vicinal explicando a utilização do Code Set Style para a pavimentação da pista e aplicando superelevação e superlargura com o LaneSuperWithWidening e Shoulder (acostamento), além de condicionais, valetas e bermas. Confira abaixo uma parte desta vídeo-aula.




Após a criação deste processo dentro do curso ainda vemos a questão do corredor, relatórios como notas de serviço e diagrama de bruckner até folhas de documentação.
Aproveitem e grande abraço à todos!

Consultoria - Trevo de rodovia (Drenagem)

Boa tarde!
Estou desenvolvendo um piloto de trevo de rodovia para uma empresa de Ctba.


Após feito todo o projeto de terraplenagem chegamos a parte de drenagem. Criada as curvas de projeto é possível analisar as sub-bacias de contribuição através do estilo com o componente "Slope Arrows" ligado. Com isso foi possível criar as polilinhas de definem a delimitação destas áreas. Veja.


Após estas demarcações foi possível criar as catchment areas a partir dos objetos através do recurso "Create Catchment From Objects" no menu "Analyze". Veja.


Selecione o polígono que forma a área de contribuição. Com isso defina o coeficiente de infiltração conforme o terreno e a equação considerada para o Tc. O Tc, que é o tempo de concentração, será calculado com base no comprimento e inclinação do talvegue que será levantado sobre o recurso "Flow path" adiante. Este valor será calculado pelo método TR-55.
O "Reference Pipe Network Structure" será configurado posteriormente quando traçarmos a nossa rede (pipe network). Veja.


Para esta situação de escoamento determinamos 75 % de permeabilidade do solo.
Agora crie o Flow Path considerando a surface correspondente.


Selecione as curvas de projeto que você tenha no seu projeto quando ele solicitar à você uma surface. Veja.


Clique no ponto de maior extensão do talvegue para a sua bacia, em 3D. Assim ele considerará a maior extensão ou comprimento para este talvegue, assim como a inclinação.



Após isso você irá criar o Flow Path a partir do objeto para este ser associado à bacia correspondente e assim calcular o Tc. Veja.


Observe que o estilo mudará em relação ao Tc da água. Dica: Utilize a template DER fornecida no Country Kit Brazil - Civil 3D 2013 diretamente no link http://usa.autodesk.com/adsk/servlet/item?siteID=123112&id=19491606&linkID=9240698.


Acesse Edit Flow Segment na aba Prospector em Flow Path da área de influência.


Veja os valores de inclinação e comprimento do talvegue. Agora modifique para área pavimentada e a surface para o flow path. Veja que o Civil 3D mudará a velocidade da água na superfície e o tempo de concentração automaticamente.


Faça estes procedimentos para todas as bacias do projeto. Trace o pipe network da Rodovia. Iremos utilizar caixa de transição, caixa de ligação e muro de ala para as structures e para as pipes (BDTC x 2 de 1m e BSTC x 1 de 0,5m). Trace pelo Pipe Network conforme mostrado em 3D.


Agora é hora de criar as referências de structure para as bacias. Vamos determinar as bacias principais pois o Civil não permite mais que uma bacia para uma determinada referência. Acesse as propriedades dos catchment areas e indique a estrutura referente. Indique ela em planta através da seta como demonstrado.


Feito isso exporte para o SSA conforme visto em outros posts, com as mesmas configurações de exportação para pipes e structures. Lá iremos calcular o método racional, inserir a equação média de intensidade para calcular as vazões máximas.
Teremos também que adicionar mais uma bacia para a caixa de transição situada no meio fio antes da interligação para o muro de ala.
Já no SSA, adicione uma sub-bacia com as mesmas características das duas que seriam captadas pela caixa de ligação em Add Subbasin.


De um duplo clique no ícone do subbasin que já está em planta na tela para adentrar aos dados. Em Outlet Node informe a mesma structure da bacia que já lhe pertence, a área da bacia levantada e o Tc encontrados no Civil 3D.


Insira a intensidade média da chuva (100 mm/hr) valor adotado para rodovia e o período de análise, conforme os vídeos já postados em meu site. Faça a análise em Output Analysis.
Veja em planta o comprometimento da interligação que recebe as duas sub-bacias.


Vamos alterar o diâmetro conforme já visto para 400 mm para este tubo. Rode de novo a análise. Veja que agora a galeria comporta a água da chuva e a linha hidráulica correspondente.
Observe quando a galeria atinge a vazão de pico.


No Civil 3D a importação é complicada na questão da importação já que atribuimos 2 bacias para a mesma estrutura de captação. Para resolver isso você pode alterar o pipe através do comando "Swap Part" para o tubo BSTC de 400 mm.
Qualquer dúvida pode entrar em contato.
Boa noite à todos !

Conversão de imagens SRTM em curvas de nível

Boa noite!
Dentro das plataformas de Geoprocessamento temos a possibilidade de converter imagens SRTM em curvas de nível para análise do terreno em geral.
No AutoCAD Map 3D isto é um pouco falho pelo fato de o usuário não ter a possibilidade de gerar polilinhas com elevação extraídas de uma imagem SRTM de forma fácil.
Para isso os projetistas ou profissionais da área de mapeamento podem adquirir a licença educacional do ArcGis no site da ESRI que tem o prazo de 1 ano de uso.


Primeiramente você pode baixar estas imagens no site da Embrapa Monitoramento por satélite em dados para download diretamente do link: http://www.relevobr.cnpm.embrapa.br/
Baixada a imagem, adicione-a no ArcGis:


Adicionada, veja a imagem SRTM na interface.


Estes dados já vem georreferenciados. Neste caso mais especificamente esta imagem está em Lat-Long WGS 1984 (LL84).
Acesse o item Spatial Analyst Tools - Surface - Contours na Toolbox. Para isso você deve ter a licença com menos limitações do ArcGIS chamada ArcINFO.

 

Defina o arquivo de entrada e saída para esta operação com as pastas correspondentes, além dos intervalos das curvas de nível. Veja o resultado depois deste processo.


Exporte as curvas de nível .shp (shapefile) para extensão .dwg para ser usado no AutoCAD Civil 3D para criação do MDT novamente pela Toolbox. 


Lembrando que você pode fazer também a operação de criação do Modelo Digital de Terreno no próprio ArcGIS.
Boa noite à todos!

Aulas de AutoCAD - Online (Geolabs)

Boa tarde!
Hoje falarei sobre uma dica para quem é autodidata e quer aprender AutoCAD Básico e 3D sem sair de casa.
Fonte: www.camelini.blogspot.com

Para quem precisa ter uma introdução no assunto e aprender as principais ferramentas do programa indico entrar no site do meu amigo e ex-supervisor João Humberto Camelini diretamente pelo link: http://camelini.blogspot.com.br/2012/08/curso-de-autocad-desenho-tecnico-ii.html
Neste tópico ele desenvolveu vídeo-aulas abordando o AutoCAD e além disso disponibilizou também diversos exercícios e materiais sobre o assunto. O repertório em seu site é grande, aproveitem!
Parabéns João pela iniciativa e um grande abraço!

Storm and Sanitary Analysis - Uma possível solução para a sua empresa !

Boa noite!
Na última quinta-feira antes do feriado participei de um workshop em minha empresa realizando uma apresentação sobre o SSA (Storm and Sanitary Analysis) mostrando as diferenças e vantagens em relação ao software X e fazendo uma breve demonstração sobre o produto para projetos de drenagem.


Quero compartilhar com vocês o vídeo que falo apenas da parte técnica, isto é, da migração do Civil 3D para o SSA.

Veja a comparação e as conclusões desta apresentação.




Nos próximos dias postarei sobre o Infrastructure Modeler, um software muito interessante para análises urbanísticas e maquetes eletrônicas em 3D pela integração com o Civil 3D.
Antes que eu me esqueça, "de nada pela ajuda Autodesk !" Não esqueça de votar na nova enquete do site!
Boa semana à todos!

Vídeo-aula Lagoa Facultativa

Bom dia !
Já está disponível no site a vídeo-aula de lagoa facultativa para quem quiser adquirir.
(AutoCAD Civil 3D Video Tutorial of Earthwork of sewer lake)



Este curso foi desenvolvido com base em um suporte de um cliente. Segue abaixo o conteúdo abordado no programa:

CAP.1 – INÍCIO DO PROJETO
- IMPORTAÇÃO DE ESTILOS DA TEMPLATE
- CRIAÇÃO DO TERRENO A PARTIR DE CURVAS DE NÍVEL
- DELIMITAÇÃO DO LIMITE DE PROJETO
- APLICAÇÃO DE LABELS NA SURFACE 3D DE ESTUDO


CAP.2 – ETAPAS DO PROJETO
- USANDO FEATURE LINE PARA OS PLATÔS
- EDITANDO FEATURE LINES
- ESTABILIZAÇÃO EM TALUDES (GRADING)
- CONFIGURAÇÃO DE CRITÉRIOS PARA AS LAGOAS FACULTATIVAS
- APLICANDO O GRANDING E O INFILL GRADING
- INTERAÇÃO DA TRINGULAÇÃO NA SURFACE DE TERRAPLENAGEM
- BALANCEANDO O CORTE E ATERRO PARA EQUILÍBRIO DE VOLUME DE TERRA


CAP.3 – ETAPAS FINAIS DE PROJETO
- CRIAÇÃO DAS CURVAS DE PROJETO (SURFACE)
- CRIANDO A COMPARAÇÃO ENTRE O TERRENO NATURAL E A SUPERFÍCIE DE TERRAPLENAGEM
- ANÁLISE DE TERRAPLENAGEM (SPOT ELEVATION ON GRID)
- CONFIGURAÇÃO DOS ESTILOS DA REPRESENTAÇÃO DE TALUDES EM CORTE E ATERRO (EDIT STYLE GRADING)
- ANALISANDO O VOLUME FINAL
- GERAÇÃO DA TABELA DE ELEVAÇÃO DO MAPA DE MANCHA


CAP.4 – CONCLUSÃO DO PROJETO
- CRIAÇÃO DOS ALINHAMENTOS DAS SEÇÕES TRANSVERSAIS
- CONFIGURAÇÃO DE ESTILOS E LABELS PARA ALINHAMENTOS
- EDITANDO GEOMETRIAS (PI´s) NOS PERFIS
- QUICK PROFILE
- CRIAÇÃO DOS PERFIS EM SEÇÕES TRANSVERSAIS (CREATE SURFACE PROFILE/ CREATE PROFILE VIEW)
- EXPLANAÇÃO DAS CONFIGURAÇÕES E ESTILOS DOS PERFIS E GREIDES
- APLICAÇÃO DO DATA BANDS
- ANÁLISE DO PROJETO COM BASE NAS SEÇÕES
- CRIAÇÃO DE UMA TABELA DE VOLUME (ANALYZE-VOLUMES)
- CUSTOMIZAÇÃO DE ESCALAS (LAYOUT)
- PRODUÇÃO DA PRANCHA DE MAPA DE MANCHAS



A duração do curso é de 3 horas e neste treinamento esclareço como se trabalha com a terraplenagem de 3 lagoas em um projeto básico e como se executa os critérios de grading e o balanceio da movimentação de terra, além da utilização de seções e customização de escalas para pranchas.


AU Brasil - Lá vou eu !


Este ano estarei presente para assistir o evento da Autodesk mais importante do Brasil. Já garanti minha inscrição para ver todas as seções que abordarão a parte de infra-estrutura, em especial as palestras dos meus amigos Osvaldo Jr. e Anderson Santos que abordarão temas interessantes como Projeto de Loteamento assistido por AutoCAD Civil 3D - Otimizando o fluxo e a qualidade do trabalho  e Topografia no Civil 3Drespectivamente.
Estou borbulhando de assuntos para palestrar mas como este ano ficou muito em cima quero apenas assistir para ano que vem sem dúvidas falar sobre algo muito interessante no AutoCAD Civil 3D.
O Evento AU Brasil será dia 09 de Outubro no Sheraton-WTC em São Paulo. Nos vemos lá!
Grande abraço!

Consultoria - Últimos trabalhos

Nestes últimos dias trabalhei em cima de dois projetos. Um referente à lagoa facultativa de tratamento de esgoto e o outro aterro sanitário.
Na lagoa facultativa utilizei muito a parte de grading com critérios como "elevation" e "distance", além de associar elevações às feature lines e utilizá-las como breaklines na superfície de terraplenagem para interação da triangulação. Quem tem meu facebook "Engenheiro Garlipp Autocad Civil" já pode conferir. Veja as imagens em 3D:



Com a definição da surface foram feitas as seções e a superfície de comparação e classificada em verde (para aterro) e em vermelho (para corte) na tabela de elevações. Veja em planta:


Para fazer a terraplenagem das células de aterro sanitário utilizei alinhamentos horizontais, verticais e seção tipo com talude. Respeitei as premissas de inclinação para os platôs (2%) das camadas e inclinação de berma para escoamento superficial. Veja o resultado em planta e em 3D:



Abraços!

Pesquisar este blog