ProspeCAD no Face

Superfície de nuvem de pontos suavizada (referência externa) Recap e Civil 3D

Boa tarde !
A série de vídeos de Civil 3D e Recap continua. Segue mais uma aula abaixo:



Continuem sempre prestigiando e compartilhando as aulas !
Um abraço à todos!

Transformação LATLONG para UTM

Boa tarde!
Recebi um suporte para transformar levantamento Latlong para UTM em .txt. Vejam abaixo:


Para o software entender que é hemisfério sul para latitude e longitude devemos substituir "," por ",-" para que os valores fiquem negativos.


Como de costume abri uma template metrica e editei para o sistema de coordenadas que queria converter estes dados nas configurações do arquivo quando fossem importados (Edit Drawing Settings).


Feito isso, na criação de um novo formato de grupo de pontos topográficos dentro de IMPORT POINTS ou também na Settings, determinei as seguintes propriedades dentro da estrutura abaixo.



Inseri respectivamente as colunas Point Number (sem precisão de casas), DECDEG Latitude (graus decimas - o formato de unidades que se encontra incluindo a quantidade de casas decimais necessárias = 5) e o mesmo para DECDEG Longitude. Delimited by "," (dividido os caracteres por vírgula).


Selecione o mesmo formato de pontos criado ("latlong"). 


Uma vez aceito o levantamento, já será possível criar um grupo de pontos e dê OK. Veja que já foi possível a conversão das coordenadas mostradas na tela abaixo, na região em questão.


Percebam que o Este e Norte estão de acordo com a localização atribuída.
É isso. Resolvi compartilhar com vocês mais esse conhecimento.
Queria aproveitar e agradecer ao meu colega Nelson Tadeu que colaborou muito neste tutorial !
Até a próxima!


Volumes de terraplenagem em estudo rodoviário básico - Infraworks 360

Olá a todos frequentadores.
Um de nossos parceiros precisou levantar volume de terra no Infraworks 360 dentro de uma concepção ou ante-projeto direto do modelo de um projeto.
Testamos a ferramenta Optimized Profile (dentro do módulo Roadway Design - espero em outro post comentar mais detalhadamente este ferramenta para vocês) pois a mesma possibilita a seleção de um corredor ou rodovia para calcular por média das áreas entre as seções da rodovia (mais usual em normas reguladoras e pensando em aproximar o máximo possível de projeto executivo considerando uma discrepância natural).
Porém mesmo se fixássemos todos os PIVs e diminuirmos a quantidade dos mesmos para próximo da realidade do nosso estudo


O profile acaba sendo alterado de alguma maneira no relatório final, vejam a comparação:

Relatório final (diversos PIVs):


Profile View antes da otimização (4 PIVs):


Percebam que foram criados vários PIVs novos, modificando o estudo original.
Além disso, a mesma não permite a mudança de transição de duas seções gabaritos da pista, permitindo a seleção apenas de uma única.


Obs! Não estou criticando de maneira nenhuma o software, até porque este recurso tem o objetivo de encontrar o melhor greide possível, apenas estava encontrando uma maneira de aproximar os dois volumes conforme já explicado e foi desta forma que ensinei em uma de nossas consultorias.
Porém uma forma mais rápida e fácil obedecendo a transição das seções, não usando o método das áreas e sim volume composto é a ferramenta "Estatísticas do terreno" (idioma português) ou "Terrain Statistics" (idioma inglês), localizada na interface como mostro abaixo.


Acredito que quem tem o Infraworks LT é possível usa-lo (não sei dizer ao certo pois não faço parte do time de revenda ou parceiro da Autodesk, apenas sou colaborador da comunidade e participo de outros programas). Porém quem estiver interessado em saber posso ajuda-lo a responder.
De qualquer forma assistam o vídeo abaixo para entender o workflow. Na ocasião fiz um exemplo com uma surface simples e plana (imagem acima) para deixar mais elucidativo o corte e aterro e assim levantá-los mexendo no greide principal a partir do traçado horizontal da pista. 
Diferentemente do Civil 3D não é necessário ter duas surfaces. O dinamismo do software já fornece essa diferença pela mudança do terreno natural.
Dica: É possível gerar o modelo pelo Model Builder (não está incluso no Infraworks LT), fazer um estudo de acessos e interseções e então usar esta ferramenta. 
Quando os dados (alignment, profile, surface) vem do Civil 3D o software não entende as estatísticas, até porque quando vem do Civil 3D significa que estamos em uma etapa pós-projeto executivo como modelagem final (posso estar viajando demais aqui, mas acredito que seja isso. Talvez só a equipe de programadores responderia tal questão).
Enfim, chega de escrever e assistam o vídeo:



Façam suas críticas mas com educação, ok ?
Obrigado e até a próxima!




Pesquisar este blog

Carregando...