Série artigos BIM: Papel do gerente de projeto ou BIM Manager como integrador




Para que o modelo funcione adequadamente, é necessário que o gerente de projeto faça papel do integrador entre todos os afetados, identificando-os inicialmente e gerenciando-os junto com sua equipe. Segundo Do VALLE (2014, p. 49) “as pessoas ou organizações que podem afetar ou ser afetadas pelo projeto devem ser identificadas, com suas respectivas responsabilidades, em particular aquelas com envolvimento direto na alocação de recursos (patrocinador e gerentes funcionais), no recebimento das principais entregas (cliente) e na própria condução dos trabalhos (equipe de projeto).”


Integração de equipe de projetos. FONTE: Google

O gerente de projetos ou BIM Manager deverá se comunicar com os stakeholders juntamente com sua equipe, segundo Do VALLE (2014, p. 57) “em vários momentos do projeto: para levantamento de necessidades e requisitos, negociação, apresentação de resultados dos trabalhos, posicionamento do desempenho do projeto e outros motivos”.

Esta abordagem é corroborada pelo PMBOK (2013, p. 391) que diz que “a correta identificação dos stakeholders e do público-alvo é o primeiro passo para saber o que deve ser produzido, para quem em que quantidade e formato” aliado sobretudo a formatação de um BIM Mandate. O planejamento e o gerenciamento do engajamento para tratar com as partes interessadas deve ser efetivo justamente para solução a partir da percepção de potenciais conflitos entre expectativas de stakeholders através de negociações e diálogos, em que nisso a tecnologia tem um papel importante pois apoia comunicativamente durante todo o processo.

Outro fator que pode causar maiores efeitos no sucesso do projeto além de desencadear conflitos são as mudanças organizacionais. De acordo com Do VALLE (2014, p. 94), “os resultados esperados em projetos, especialmente nos que tem uma conotação estratégica, só são obtidos quando eles são correta e completamente implantados. Surgem aí os maiores desafios, relacionados com a capacidade da organização, por meio de seus stakeholders, de absorver os impactos que as mudanças exigidas pelos projetos terão sobre suas competências, expectativas, premissas e valores. O elenco de resistências advindas desses impactos, sem um adequado gerenciamento, pode bloquear o esforço da implantação e impedir que os objetivos sejam atingidos, em parte ou no todo.”

O BIM Manager ou gerente de projeto deverá também “monitorar o engajamento e o comprometimento dos stakeholders ao longo de todo o projeto, pois ao término de cada comunicação ou de cada reunião efetuada é importante avaliar o impacto e os resultados no seu público-alvo, gerando um feedback do que pode ser aprimorado, além de ajustes e melhorias para os próximos projetos”.  (PMBOK 2013, p. 391)

Dentro disso, a tecnologia BIM tem um papel fundamental para superar barreiras de linguagem por meio da simulação BIM e comunicação. Segundo EASTMAN (2013, p. 105) “a maioria das projetos envolve pessoas que falam múltiplas línguas ou dialetos no escritório e no canteiro. Esforços que tentam incorporar ferramentas de tradução dentro de CADs ou mesmo aplicações BIM falham devido ao jargão e às informações específicas que são anotadas nas próprias pranchas do projeto. O BIM pode ser usado para comunicar as atividades diárias do canteiro para trabalhadores estrangeiros. Essa visualização interativa, no estilo videogame, fornece aos trabalhadores uma forma altamente interativa de navegar e consultar informações do projeto.”


Para tanto, o BIM Manager deverá ser um exímio comunicador pois possuirá propósitos distintos para um projeto bem sucedido com base em um plano de comunicação como “o que a equipe precisa alcançar”, “a informação mais apropriada para atender às expectativas e exigências do stakeholder” além do “formato mais efetivo da mensagem e a forma de entrega”. (Do VALLE , J.A.S., 2014, p.59).


Referências bibliográficas:

EASTMAN, Chuck et al. Manual de BIM: Um Guia de Modelagem da Informação da Construção para Arquitetos, Engenheiros, Gerentes, Construtores e Incorporadores. Bookman, 2013. 483p.

Do VALLE, J.A.S., CAMARGO A.A.B., MOTA E.B., ZYGIESLZYPER P.M.K., Gerenciamento de stakeholders, 1.ed., Rio de Janeiro, Editora FGV,2014.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE (USA). Um Guia de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos: Guia PMBOK. 5 ed. Pennsylvania. 2013. 567p.



Comentários